25 de abril de 2019

A perda da sensibilidade. A falta de habilidade motora e capacidade de comunicação, causa danos irreparáveis. De forma desenfreada a magia tomou um rumo diferente de seus ritos passados, e tudo pode ocorrer num único segundo, onde o ar perde lugar a espessos pensamentos (sem-percepções) pois ao mudar a percepção das pessoas através de informações controladas. O mundo muda como está previsto espiritualmente, não (precipitada-mente). As pessoas andam com seus celulares e podem ver parte do seu passado como um espelho que não reflete a imagem do presente. Podem também descompreender o futuro, vivendo de uma maneira desenfreada ao liberarem doses de dopamina ao clicarem incessantemente seus botões de aparelhos celulares que dá acesso ao mundo dentro de um pequeno espaço, impedindo o crescimento do seu campo perceptivo de evolução de compreensão dentro do conhecimento e da ciência. Pequenas telas que apagam ou se fecham...
 "O celular/porta-luz. (lúcifer)

19 de abril de 2019

Do percurso poético Sonante, "A torre do filósofo." (A torre I )


A TORRE I - Poema primeiro.

Cada som a bater e tilintar sinais
Por cada folha de outono a cair
Sobre cada vento a passar
Pairávamos ali a sombra da cerejeira

Alto como as luzes se iam formando
Deixando mais uma tarde seu fim
Era toda a esperança a própria vida
Um esconderijo secreto diante da luz

A Torre sobre nuvens a vagar
Em cada passo a chiar as folhas das árvores
Penduradas a balançar em maestria de um movimento
Verdejantes acesos a recriar as formas da vida

O cenário de outro tempo que nada foi
Senão a passagem para esse nascer da hora
Movemo-nos silenciosamente parados
Enquanto "ela caminha sobre a trilha"

Os cabelos a ofuscar os olhos que desenham a vida 
Mecanica-mente com a mão feito pincel
A sombra que reparte a tarde da noite
Fazendo da luz  altissonante

Sem serem os mesmos ventos
Como ás águas nunca são as mesmas
Formando moinhos de ventos ás águas
E ás águas ondas que dividem ás águas

Tudo era vazio e sem forma antes de existir
(Altos e sonantes) sonhos a colher folhas secas
Que são a vida do espaço em que habita
Passam e reparam os olhos sem tocar

Em cada canto onde habita o invisível 
Formando balaustres monumentais 
Que firmam auspiciosos alicerces além da terra
E faz surgir então, incrível e formosa Torre

"De ventos que uivam
E noites que descem
De dias que nascem
De chuvas que caem
Da luz do sol que alumia as janelas da Torre
E deixa o sonante vento entrar..."

17 de abril de 2019

"O filósofo das torres."


(Percurso poético sonante) 

A torre I
A torre dos ventos altissonantes II
A torre do poente III
A torre do pontífice IV
A quinta torre V

12 de abril de 2019

"O entretenimento é o substituto diabólico das falências espirituais e das artes que não terão o futuro."

O jardim da minha alma

Onde há espinhos rodeados de flores
Os arvoredos acolhem a luz do sol
Que pairam sobre os corredores de terra macia
Onde caminho junto as borboletas de um arco-iris

Silvando o vento, enche o lugar de liberdade
Vislumbrando o espírito todas as coisas
O lugar se enche de uma infinita liberdade
E realiza um estranho ato e cumpre a história

Avivando águas de ribeiros a rebentar a terra
A regar as raízes mais profundas
Dando vida ao que estava morto
Inaugurando redes invisíveis que prendem armadilhas

E a liberdade canta suas canções em cada lugar
Visível ou escondido dos olhos dos homens
Surgindo um som estridente do céu, ganha nome as estrelas
A noite cai em divina serenata e dança a luz sobre as nuvens

"E minha mente se torna a noiva
De um rei dominador de sua coroa
E reina uma alma sobre um mundo inteiro
E a alma é a noiva e o rei o seu corpo...

10 de abril de 2019

"O fogo nunca dorme e nem se apaga
E o amor é o fogo que não arde para machucar
Mas trazer pureza aos olhos
E fazer com as mãos juntas, colham
Mas antes semeiem e reguem
E então, as águas se juntam ao fogo
Como a eira de uma montanha que adormece seu vulcão
Mas que tão ardente, faz as águas borbulharem...
E não são como canções que iludem
Ou livros que nos faz ler apenas um pensamento
O amor é mais ciumento que a morte
Que não passa de uma sonolência que não refletem...
"Um/" não pode ser o fogo e o outro a lenha
Pois a lenha queima e assim acaba o fogo
Dois precisam serem o altar para receber a lenha
E depois aceitar o fogo, que é o amor...
Os pés ali se aquecem, e as mãos dadas dão a segurança
De que o inverno lá fora, não passa de um inverno que passa
O vento nada diz em seu passar, somente cumpre teu dever."


Um dos males deste século é o homem igualmente a mulher pensar que tudo que se pensa surtirá um efeito preciso para aquilo que se quer... Contudo, eu quando vejo corpos, vejo pessoas simplesmente iguais, sem indiferenças, independente de cor ou crédulo ou classe. A minha alma tem a significância de que muito além do que se pode ver e pensar, há uma vida tão abundante de amor, que os defeitos se tornarão meros detalhes dos quais no particular serão os melhores assuntos a se tratar a dois. A indiferença a quem ditamos amar, é exatamente o cálculo do início dessa frase, que diz: "Um dos males deste século é o homem igualmente a mulher pensar que tudo que se pensa surtirá um efeito preciso para aquilo que se quer."

9 de abril de 2019

"Assim como ás águas purificam não só as superfícies visíveis. Também se dividem interiormente a movimentar rios e oceanos. O fogo ardente é como o martelo que esmiúça a penha e separa todos os elementos e os tornam puros e também os desfazem para se tornarem faíscas."


"Num mundo onde há muitos deuses, quem crê apenas em um que tudo Criou, é dito como ateu. Se pensarmos bem, faz sentido; o Homem nega os deuses e as religiões, e começa a acreditar profundamente num único ser capaz de dirigir o mundo como Bem quer, pois mau é somente as coisas das quais dispersam seres de outros seres e classificar territórios que estão todos no mesmo espaço. Faz sentido, porquê os móveis como qualquer outro objeto não pode se reverenciar a outros móveis e outros objetos. O homem como criador de crenças, se reverencia ao que vê e crê que aquilo em que se oferece tua adoração pode salvá-lo. Contudo, se tudo é ilusão... Devemos crer que há somente um Deus antes de acreditar em qualquer outra coisa. É exatamente isso que dá ao homem autoridade sobre tuas próprias escolhas, e determina que o futuro não lhes pertence como pensa, mas como Ele será a medida em que se tem a força além dos braços que não se curva aos homens e nem as paixões."




8 de abril de 2019

"As engrenagens das formações de um mundo."

Dirigidas pelos governos de um mundo separados d'outros
Que são gananciados por poder e riquezas
Fazem a ciência e o conhecimento tornarem-se ocultos
Não somente aos olhos, mas as criações seculares
A impedir que seja o homem seu próprio dominador
Em sabedoria e contato com as superfícies naturais
Que rasgam terras e fortes barragens criadas por tuas mãos
Desconhece seus pesos e medidas, tamanho e profundidade
Não há méritos no teu saber nem no teu conhecimento terrestre
Como mundos que antes se desfizeram , este cresce como quer
Sem necessidades cientificas e tecnológicas, impressiona
Causa a euforia dos carnavais e feriados que se prolongam
A ditar nenhum crescimento do estado ou mundo...
O governo sobre ordens "maiores e ocultas"
E separam cargos que são apenas cargos, não mais do que o quê diz
Suas letras aprovam suas regras e não se cumpre...
Nada além do que está escrito e não feito
Em torno de si exteriormente se evaporam as promessas
Dos comerciais e dos palanques que pagam trabalhos que passam
Que são temporadas de preços altos e se perde o povo na tua escolha
Nada em vista é relevante e nem simples como se pode ver 
Pois tudo que se é feito e tornado sólido após o pensar
Se destrói pelo inventor de sua obra...
Seja a arte qual for pela tua posição entre todas que hão de serem eternas
Pois estas coisas homem nenhum pode tocar e nem mudar de lugar

"E ordens desordenam o mundo e sociedades
E estados e cidades e culturas 
E permanece a ética e moralismo 
Regras indiferentes a constituição 
Que ao passar de longos anos se muda
Pois o que no mundo está, é mutável
E somente o invisível é imutável
Pois inóspito segue além de cores e das fórmulas
E sentimentos ganham o sentido abstrato
E disso a arte nasce e eterniza a vida...
"Não é como meras intuições e nem como ela é capaz de criar superstições, mas desfazê-las. Sem teorias e sem o processo da reforma do século presente.

"Havendo  o poder de imaginar dentro do pensamento, o homem.
Ele tornou-se capacitado a recriar partes da sociedade.
Mas deixar o mundo fluir como antes já estava escrito.
Prontamente a cumprir destino por destino.
Como regra por regra.
E mandamento sobre mandamento...

Fragmentos.

7 de abril de 2019

"O frisar da chuva...

A arquitetar teu cair sobre os painéis
E pontes infindáveis, destemidas
Entre o ar invisível sem peso
Sem espaço para passagens anônimas

Onde se deixa trespassar o tempo
A formar a hora que aponta chegadas
De horas suspensas e realizáveis
Entre montes sem vales e desertos

Longínquos horizontes que caminham
Altas e supérfluas condições mortais
Em tênues telas de nuvens a inspirar
E deixa as ideias fluir e surgir repentina

E permite a criação sobre a arte que jamais finda
Pois permanece como uma ideia sem forma
Até que esteja permitida seu romper
Como um estado sólido a recriar o mundo

Que está entre o ver e o sentir
E causa impressões, mas são ventos
Ao sempre que existe pela alma, somente
Encontramos o corpo para dar outro corpo

Que compreende o espírito
E suporta a alma e seu sonhar
Dá vida a morte que adormece
E o sonho deixa de ser um sono, e toma seu lugar

"Fora do pensar desequilibrado de meros insones mortais."

Sobre a fresta da porta...

Sempre ali a deslizar a sombra
Entre a lâmpada acesa
Ao corredor cadente sem hora
E nos impressiona o cair da noite 

Pois é divindade desde a eternidade
De férteis estrelas que moldam o céu
Homens desconhecem teus nomes
Tuas existências passam despercebidas

Voam poeiras estrelares que cismam
Entre a terra e o abismo de gentes
Ursa e Órion e as Plêiades fascinam
Acontecimentos distintos dos olhos mortais

Movem-se as pontes e caminhos
E se dividem as águas do Pacífico
A se achar no gélido Ártico
Tombam os outeiros e floras

Perseguem o nada que desprezam
Mas buscam ser, erram a tentativa
E depois se dispersam...
Entre o nada e o cais a velar.

6 de abril de 2019

"Fragmentos."



__________________________________________________________

Livros sem sociedades, sem o saber
Em declínio de rumores desprezíveis
Qual tombam riquezas e desfazem sonhos
De tetos que guardam a ciência do conhecimento

(Para tudo desconhecer e transformar)

Patrimônios que se perderam
Num tempo passado
Que sempre chega antes de  outro século
E se inventa o futuro, que não existe

Mas terno está a ser guardado
A ser imaginado dentro do pensamento
Silvando nas horas e no espaço
Sem o tempo a fluir.

"Ao porvir e devir...

Destronam passagens ao tempo
Sobre a hora suspensa
Condecora o vagar ao segundo 
A se desfazer num único pensar

Nada existe, tudo inventamos
Uma cor e uma forma, uma invenção 
Porque vemos sem ser o que buscamos
Se realiza por ter de ser assim

Não se recria a hora nem o tempo
E passa por nós como um dever
Conhecemos o porvir e devir 
Espelham-se nas altas constelações...

Vindas e idas de imutáveis sensações
Sobre a fórmula das notas e suas canções
Sem verso, sem rima, sem timbre
E o tom se faz iluminura...

5 de abril de 2019

"Fogo, fumaça e enxofre...
O que eu pensava ser ruim ou mau, é infinitamente pior."


4 de abril de 2019

"O verso dentro dos versos...

"Que versos sejam minutos
E minutos versos...
Que tudo possa desenhar teus olhos
E desenhando teus olhos, alcance

Viva o gesto impensado pela alma, ao invés do corpo
Que melhor sabe ser do que um querer que passa
Que a noite lhes seja enunciação da vida
E que as luzes que pairam nas estrelas, te guiem

Seja-lhes caminho a mente e coração
E acenda o incenso aromático do espírito
Para dançar a alma nos altos montes
E o corpo mergulhe sem medo nenhum nas planícies da terra."


Brinca a minha alma a rodopiar 
A dançar nos abismos da terra 
Faz do meu corpo um movimento preciso
Uma engrenagem aplicada em poder
A desfazer altivos entendimentos
Cada passo um trilhar no pensamento
A minha alma brinca nas sombras
E faz do meu coração terna luz
Então, sobre a sombra que eu descanso
As sombras que me buscam cobrir...
Se desfazem.


3 de abril de 2019

“Ainda que houvesse uma figura imaginada
Dentro da minha realidade para eu tocar
Mas falo isso como um corpo visível
Eu não me importaria em tratá-lo como uma coisa qualquer
Porque não poderia me permitir ser visto só do que vejo
Porque existe muito mais além do que se pode ver...
E de tudo que se tem, nada pode fechar as lacunas da alma
Por isso, eu sou rendido ao que não existe ao que eu posso realizar
Na fresta do possível sol a janela que ilumina
Pois o que eu quero e desejo, nem sempre me servirá
“Senão de um espelho que então, ao vê-lo, não estou lá.”


Nenhuma mulher possui meu coração
Tampouco tem a chave que o abre
Nenhuma mulher tem passos para caminhar meu jardim
Tampouco colher meu sentimento com tuas mãos."

Nenhuma mulher sabe se quer a cor que têm a minha alma
Tampouco o que Rege meu coração fora dos trilhos 
Nenhuma musa existe em meus pensamentos
Tampouco uma mulher me faz sonhar e me permite realizar

Nenhuma infantaria de mulheres nuas me fazem parar a ver
Tampouco um esquadrão de coxas nuas me entreteria 
Nenhuma riqueza acumulada por meio século me atrai
Tampouco olhos claros me fariam se perder na nudez de uma mente 

Pois o corpo é a porta que leva até a alma
E para sentir o Amor, é necessário não amar o que se vê
Mas o que se não vê sem querer o que já existe
È necessário nenhuma vontade própria e tampouco querer vencer o mundo...

“Mas a si mesmo diante do que está no mundo
Diante dos olhos nu que se perdem na suas ondas imaginárias.”

2 de abril de 2019

"Com os batimentos do teu coração, te faço versos"

Posso te ver e sentir em tudo 
E quando se formam as nuvens
E passam sobre o céu, tem tu 
Como todas as formas que tomam meu mundo 

Vem a brisa do amanhecer e vejo você 
Ouço teu sussurro a linha dos ventos 
No teu soprar posso recriar as formas 
Ao sul do horizonte onde louvam os pássaros 

Todas as chegadas e partidas da vida 
E assim na formação do tempo, vejo você 
Se és chuva, molha meu campo 
Fazendo nascer as minhas flores que são você 

Ouço teu sussurro no amanhecer 
Se me é sol, alumia meus horizontes 
E posso ver criar a minha vida 
Em um instante chamado você 

Eu te vejo em tudo 
Na formação do pensamento tem você 
E tudo é tão claro que não há noite sem fim 
Na dança do mar, ouço teu falar 

Se tu me é tarde, eu posso descansar 
Se me é noite, posso me deitar e sonhar  
Na dança do vasto mar, ouço um leve ecoar 
Que me trazem imagem de você

No surgir dos ventos, tem você
No parar do tempo, tem você
No cantar do meu pensamento, tem você
Te vejo em tudo, e tudo é puro.


1 de abril de 2019

"Na tua sombra eu descanso...
E mudam as coisas de lugar
Eu sou uma casa, as coisas mudam de lugar
Eu sou um lar."


O amor;

"Um Dom supremo a não fazer temer (desorde-nadas) emoções
Não é uma a dúvida como a causa da fé
A dúvida;
É a razão do homem em sua fraqueza
O amor é perfeito...

Não desfaz de medos...
Ele dissipa e lança fora sensações
Assimilando amor & fé
A humanidade não passa de uma sociedade

"O perfeito amor é um convite
Aperfeiçoado e assimilado, é mente e coração."

O amor.
É o antidoto que aniquila
Todas as espécies de males
Consciência limpa e coração puro
É o que diz que tudo está dentro de um decreto maior,

"E nada há o que estranhar ou duvidar
Faz descansar a alma numa Sombra onipotente
Num Ser onipresente
E num Espírito onisciente."

"Medo só se deve ter do seu criador...
A criação que é muda, cega e surda
Se a mente como membro de um corpo
Pode causar danos a sua existência e sociedade
Esclarece isso com grande facilidade
Que tudo que o homem cria, ele destrói
Aquilo que lhes é dado, ele ignora
Mas isso até o momento em que vence os teus dias...
Dias escritos num livro que o homem não pode ler
E ignora a sua alma...
O corpo padece...
A mente-mente...
E os olhos se perdem...
Então os passos, desencaminham...
A vida é o único mistério a se desvendar
E só o amor é grande e sublime.

Os demônios

Os demônios A penumbra da madrugada fria Onde estreitos eixos se debatem Como um finíssimo aço na mata que se propaga Um saco de ossos v...